Chegamos, Amapá!

Projeto piloto da CSA inicia regularização das redes de água em áreas de ressaca de Macapá

Com investimentos de mais de R$ 2 milhões, o Projeto Pontes para o Futuro iniciou seus serviços em passarelas do bairro Congós, na zona sul da capital.

A ocupação das áreas de ressaca pode impor limitações ao fornecimento de serviços básicos como água tratada para população. Esta é uma realidade em todo o Brasil e que passou a ser combatida pela Concessionária de Saneamento do Amapá (CSA), com o início do Projeto Pontes para o Futuro, que percorre passarelas com serviços de regularização e padronização das ligações de água e extensão de novas redes de abastecimento de Macapá.

O Pontes para o Futuro é um projeto piloto e iniciou os trabalhos por passarelas do bairro Congós, na zona sul da capital. As equipes substituem tubulações, ampliam a rede disponível, suspendem e adaptam os canos que passam por dentro das áreas alagadas para afastar os riscos de contaminação e regularizam as ligações com a instalação de hidrômetros.

As equipes trabalham na extensão das redes disponíveis.
Na regularização das ligações.
E na instalação das redes fora das áreas alagadas.

Todas as zonas da capital receberão as equipes da CSA e os benefícios desta iniciativa. “Cada passarela é um cenário, mapeamos as áreas de ressaca e estamos visitando estas comunidades para entender quais os serviços mais urgentes que precisam chegar por meio do nosso projeto. É um projeto piloto, mas já sabemos que trará uma nova perspectiva para o saneamento do Amapá”, explicou Bruno Rodrigues, líder de Garantia da CSA, responsável pela execução das ações.

Redução de perdas

Com investimentos de mais de R$ 2 milhões, a proposta do projeto também prevê a redução das perdas de água no Amapá, que atualmente são contabilizadas em cerca de 70% e é uma das maiores do país. Com a correção das redes, novas tubulações são instaladas e a água tratada que é distribuída sofre menos intervenções das áreas alagadas, já que são instaladas estrategicamente.

As tubulações são retiradas de dentro da água.
O projeto quer regularizar as ligações que eram feitas pela própria comunidade para reduzir os vazamentos.
Bruno Rodrigues, líder de Garantia da CSA.

“Os novos ramais são suspensos, saem de dentro do lago e reduzem os riscos de vazamentos. É mais qualidade de vida para população desta área que recebe nosso produto e menos perdas técnicas desta água que tratamos e distribuímos. É bom para o cliente e no combate ao desperdício deste recurso”, conclui Bruno.

Fale Conosco

Para outras informações sobre os serviços da CSA ou registro de ocorrências relacionadas às operações de água e esgoto nas áreas urbanas dos 16 munícipios do Amapá, a concessionária mantém um canal de comunicação ativo com os clientes, disponível 24 horas no telefone 0800 086 0116.

Macapá, 06 de setembro de 2023

Comunicação CSA