Chegamos, Amapá!

CSA inicia substituição de redes antigas de água na Avenida FAB 

Com investimentos em inovação, a concessionária traz para o Amapá um método não destrutivo para o trabalho, que reduz a necessidade de escavações em obras e não afetará o trânsito. 

A Concessionária de Saneamento do Amapá (CSA) deu início ao primeiro grande trabalho de substituição de redes antigas de água em Macapá. Os primeiros 2 quilômetros que serão trocados estão localizados na Avenida FAB, no Centro. Com investimentos em inovação, a empresa executa a obra com o MND (Método Não Destrutivo), que garante um processo de instalação de tubos sem a necessidade de escavações de valas e sem grandes impactos no trânsito da área.  

A ação tem como principal objetivo eliminar pontos de interferência no abastecimento da região. As novas redes de água vão impactar de maneira positiva os hospitais na FAB e as áreas adjacentes, que atualmente sofrem com as intermitências causadas pela rede antiga.  Além disso, o material da nova tubulação é polietileno de alta densidade (PEAD), que é mais seguro e de alta durabilidade. Assim que as obras avançarem, a CSA realizará o recapeamento asfáltico da região, já previsto no planejamento do trabalho.   

O novo método não abre grandes valas nas vias.
A obra iniciou pela Avenida FAB, em Macapá.

Sobre o MND

O Método Não Destrutivo utilizado consiste na instalação das novas redes hidráulicas com o mínimo impacto em vias e locais movimentados, reduzindo a mão de obra das equipes, como explica Yanka Freitas, engenheira da CSA: “Nossa máquina trabalha como um tatuzinho, sem quebrar as ruas. Fazemos uma janela por onde passa a nova encanação, inserimos a nova rede e posteriormente realizamos só a interligação ao sistema. Seria muito complicado fazer isso na FAB sem esse investimento”, destaca.  

Mais vantagens  

Além de reduzir os impactos da obra nas vias e no trânsito, a tecnologia utilizada também traz resultados no tempo de trabalho. Com esse método, serão executados 100 metros de novas tubulações por dia, mais que o dobro do esperado no método comum e destrutivo. Com isso, a CSA estima que até dezembro sejam concluídos os primeiros quilômetros de redes substituídas na capital. Nesta primeira etapa, o trabalho na FAB ocorre no perímetro da orla até a rua Manoel Eudóxio. 

“Esse é só o começo, vamos substituir todas as nossas redes, obedecendo os prazos previstos no contrato de concessão e garantindo mais eficiência aos serviços de água e esgoto do Amapá. Nosso compromisso é mudar a realidade que encontramos”, conclui Yanka Freitas.