Chegamos, Amapá!

Equipe de caça-vazamentos da CSA inicia trabalho em campo com ajuda do geofone

O investimento na aquisição dos aparelhos de alta tecnologia tem como objetivo combater os índices de perdas de água no Amapá.

A Concessionária de Saneamento do Amapá (CSA) iniciou o trabalho em campo para redução de perdas de água com o auxílio de um sistema de localização de vazamentos por sons e acústica nas tubulações localizadas no subsolo na rede. O aparelho utilizado em campo se chama geofone eletrônico, também popularmente conhecido por ‘caça-vazamentos’.

Muitas vezes, os vazamentos na rede de distribuição de água não são visíveis, ou seja, não extravasam líquidos nas vias, mas estão presentes na rede interna das ruas e representam um alto volume de perdas de água, o que diminui a pressão na rede para os domicílios e favorece o desperdício do produto.

“Iniciamos o trabalho das equipes de caça-vazamentos com os geofones, aparelhos inovadores no Amapá que vão nos ajudar a encontrar problemas escondidos na rede. Esse é um investimento de extrema importância para a redução de perdas de água”, explica Roberth Carvalho, Executivo de Perdas da CSA.

Índices

Em junho deste ano, antes da posse da CSA, o Instituto Trata Brasil divulgou um estudo nacional que aponto o Amapá entre os últimos estados do país em perdas de água. Segundo o levantamento, de cada 100 litros de água tratada produzida, quase 75% se perdia pelo caminho antes de chegar devidamente ao consumidor. Isso ocorre por furtos na rede ou através de falhas nas tubulações ocasionadas por ligações feitas nas adutoras pela própria população, o que causa muitos vazamentos e desperdício de água. São essas falhas que a concessionária quer combater com o investimento na equipe de caça-vazamentos.

O trabalho da equipe de Controle de Perdas da CSA consiste em fazer uma varredura diária em nas ruas onde estão as tubulações da rede de água. A análise inicia por áreas onde há ocorrências que possam indicar vazamentos, como falta de água ou baixa pressão. A investigação também ocorre quando não há indícios.

“A verificação inicia com a verificação com uma haste de escuta no ramal do cliente, instala-se uma válvula geradora de onda (VGO) que emite uma vibração no ramal que se estende até a rede principal, após localizar a direção da rede principal, o técnico começa a sondar a adutora”, explica Carvalho.

Após identificar o local do vazamento, é feita uma demarcação com tinta vermelha na área onde a intensidade do ruído é maior, identificando o local para a equipe de manutenção realizar o reparo na tubulação. Trabalho constante e cotidiano das equipes minimizando as perdas de água e ajudando a preservar um recurso tão essencial para a vida”, conclui o colaborador.

Contato

Para manter o canal de comunicação aberto com o cliente, a CSA disponibiliza uma Central de Atendimento 24h para registros de ocorrências como vazamentos, falta de água e problemas com o esgotamento sanitário nas áreas urbanas dos 16 municípios do Amapá. O telefone da central é 0800 086 0116 e funciona 24h por dia, todos os dias da semana.

Comunicação CSA